Simplicíssimo

La vie en rose

A vida que sobra pelos cantos. Com raízes. Dorinfinda.
Sem melodias. Sem rimas, sem motes. Cem mortes.
Alguém que comigo não conjugou a sorte.

A dor que não cabe em nenhum poema. Amarga e forte.
Não se esvai com mil novenas nem chá de apagador.
Crua lima de vil navalha que me amortece.

Tempo desmedido no sentimento desmentido que faz sentido.
Rumo e Norte. Justa fusão de um viver com a Morte.
Vivência de amor que tece sem amortecedor.

Você: tatuado entre tantas minhas outras eternidades.
Menor distância entre este absurdo real diário e a
Verdade absolutamente nua do meu imaginário.

Lilly Falcão

Últimos posts

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular

Most discussed