Simplicíssimo

Ítaca Gaudéria

Pois eis que estive vinte anos com Odisseu… Vinte anos querendo, mais que tudo, o sangrento fim dos pretendentes, esses vermes imundos que cobiçaram a mão de sua esposa, com todas as suas posses e o trono de Ítaca. Mais de 200 patifes imundos que se abancaram na estância do vivente, carnearam todo o seu patrimônio em festas e mais festas, tomaram todo o seu vinho, comeram suas escravas, planejaram a morte de seu filho.

Navegamos, navegamos… Quando parecia que tudo iria bem, que finalmente chegaríamos lá, algo nos retardava. Sempre que avançávamos, Netuno nos pegava pelos bagos. Bosta! Bestas e mais bestas, por todos os recantos. E bestas carnívoras! Todos devorados, afogados, consumidos. Cruzar o Oceano, mergulhar no reino dos mortos, voltar para contar a história, só para tombar logo adiante, de novo, e de novo, e de novo…

Enquanto devorava, deliciado, este fidelíssimo painel da existência humana, minha existência mesma passava por mutações. Neste Oceano de dúvidas, obriguei-me a ancorar em inóspitas respostas. Que fazer de minha tripulação? Que fazer de mim mesmo?

Não podendo ser certeza, decidi fazer-me dúvida, entregar-me ao vagar incerto da esperança, mergulhar na morte certa do otimismo. Fazer-me forte temperando o aço das têmporas no fogo do inferno.

No mundo da realidade não-metafórica, constato que os gaúchos finalmente decobriram que seus políticos também roubam. A nossa imprensa agora parece finalmente corroborar meus diagnósticos do óbvio grosseiro: não vou me repetir, leiam "A Ortolândia do Sul" e "Sobre a Alegada Falta de Recursos do Estado do Rio Grande do Sul", textos em que perco tempo falando dessas coisas que nós não somos: ladrões e corruptos.

A morte sangrenta dos pretendentes insolentes está a 20 anos de distância, mas a Penélope ainda é charmosa, quem sabe com umas lipos, uns botoxes, uns liftingues ela não agüenta até o final. Mas falta aprendermos que essa estória de "ética na política" é uma engambelação grotesca. "Ética" e "Política" são ramos diferentes do conhecimento e associá-los como se fossem siameses é no mínimo ingênuo.

Os políticos da velha guarda seguem Maquiavel, Hitler e Stalin. Os da nova geração acompanham os idosos, mas vestem roupas novas e têm métodos mais sutis… Pelo menos enquanto durarem os estoques!

Bom, vou cuidar da minha vida, enfrentar meus ciclopes e implorar a Netuno que libere meus bagos após a próxima reunião do COPOM.

Ciao!

Luiz Eduardo Ulrich

Últimos posts

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular

Most discussed