Simplicíssimo

SUS: Iniciativas Animadoras II

Complementando o texto da semana anterior, resta-me citar o trabalho das Equipes Itinerantes em saúde mental, desenvolvido em Porto Alegre. Este projeto leva equipes de saúde multidisciplinares às casas dos portadores de sofrimento psíquico.

As mesmas têm o duplo mérito de prevenir recaídas, evitando assim internações psiquiátricas e auxiliar famílias e pacientes a enfrentar as dificuldades impostas pela doença no dia-a-dia. Atividades de socialização, retomada de atividades domésticas, de auto-cuidados, questões de vida prática (por exemplo, lidar com dinheiro, pegar um ônibus) e ocupacional são objeto de atenção destas equipes.

Lembro também das oficinas de geração de renda, em especial de uma célebre localizada na Avenida Goethe, igualmente um trabalho modelar. Ali se promove a recuperação da capacidade funcional mediante o aprendizado e execução de produtos artesanais, os quais são revertidos em recursos mediante venda. O efeito positivo sobre a auto-estima e senso de produtividade dos portadores de sofrimento psíquico é inestimável.

Tais iniciativas podem contar (e às vezes realmente contam) com apoio de outros setores além da saúde: educação, cultura, desporto, assistência social, organizações não-governamentais, etc.

A nossa sociedade se mostra muitas vezes excelsa em suas iniciativas. Não somos meramente uma nação mergulhada em inércia, política mal feita, corrupção, crimes…

Não cito iniciativas de outros estados por pura ignorância. Ademais, a idéia destes dois textos nasceu mesmo de um elogio a alguns setores do SUS gaúcho. Mas posso afirmar sem chance de erro que o Brasil inteiro conta com belas ações em saúde, algumas que já escreveram páginas das mais felizes de nossa história.

Por isso acho realmente uma pena o desvio de verbas da saúde. O ministerial caso das ambulâncias, por exemplo, certamente tolheu muitos bons projetos que não andaram por falta de recursos, os quais não faltariam se todo o dinheiro destinado à saúde realmente fosse aplicado em saúde. Como tenho dito, nossas elites são muito gananciosas.

Saem perdendo as boas idéias e intenções. Acreditem, há muita gente dando duro todo o dia para que o sistema de saúde dê certo. Gente brasileira, honesta, bem intencionada e genuinamente altruísta.

Luiz Eduardo Ulrich

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!