Simplicíssimo

Pos fácil do amor…

 

Não é fácil viver com outros seres humanos. Seres tão cheios de vontades próprias e manias, que querem impor sua vontade sobre os outros, que querem que as pessoas pensem como eles. Não é fácil.

 

Não é fácil querer fazer uma pergunta importante ao professor e não ouvir a própria voz diante do ruído da sala, mas também não é legal ficar conversando sobre a resposta do professor quando seu interesse estava satisfeito. Mas não é fácil viver em grupo.

 

Existem muitos mais problemas quando o relacionamento é sobre o mesmo teto. Que programa assistir na TV. Tampa do vazo sempre baixa ou sempre levantada. Onde apertar a pasta de dente. Shampoo que acabou a quinze dias e ela não pega outro nunca. (e você que não vai pegar, por que os três últimos foi você que trocou, e daí, onde fica seu orgulho, não é mesmo?). Tudo isso e estamos apenas no banheiro ainda. Os pelos dele no sabonete, os cabelos dela no ralo, e a há quem diga que o amor é lindo, afinal, ou seria “after all”?

 

Não é fácil viver com outros seres humanos. Não é não gostar deles, tudo que outro ser humano faz é lindo, aquele presente especial, aquela sopinha quentinha te esperando no dia que você tomou aquela baita chuva. Milhares de pequenos minos, mas o que pega mesmo é esta maldita opinião própria. Esta irritante opinião própria. Não lembro quem o Crisson, do CSI Las Vegas vive citando que diz: “Amo a humanidade, mas destes os seres humanos”, amo tudo que produzimos e a sociedade que criamos, com mitos,  fábulas, com as músicas e poesias e pratos que são em si, obras de arte ao paladar. Mas o ser humano individual, aquele esparramado na frente da TV, que tira quilos de lã do próprio umbigo, que arrota, peida, é egoísta, este, eu realmente tenho dificuldade em amar…

 

Acho que foi Voltaire quem disse: “Serei contra todas as coisas que disseres, mas morrerei pelo direito que as diga”. Einstein disse: “Só existem duas coisas realmente infinitas: o universo e a estupides humana, e ainda assim estou em dúvidas quanto a primeira”. Agora eu não sei quem disse, mas é muito citado por Grinsom, personagem do seriado CSI: “Adoro a humanidade, o que me irrita são os seres humanos”.

Viver em sociedade, sobre o mesmo teto ou não é algo realmente difícil, mas é ainda pior viver sozinho. Ruim com eles, muito pior sem eles, para encerrar também num adágio famoso.

Luiz Emanuel Campos

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts