Desarmamento

Estamos nos aproximando do momento de decidir se somos a favor ou contra o comércio de armas de fogo em nosso país. Os argumentos parecem ser bons de ambos os lados. Por um lado, os defensores da vida afirmam que a proibição das armas reduziria a incidência de acidentes caseiros, violência doméstica e outros tipos de eventos em que as armas de fogo acabam levando a catástrofes familiares. Por um outro lado, defende-se a idéia de que desarmando-se a população (sem no entanto desarmar os bandidos) estaria se aumentando ainda mais a violência já que os bandidos armados (e só eles) ficariam ainda mais à vontade para roubar o cidadão comum.

Estamos nos aproximando do momento de decidir se somos a favor ou contra o comércio de armas de fogo em nosso país. Os argumentos parecem ser bons de ambos os lados. Por um lado, os defensores da vida afirmam que a proibição das armas reduziria a incidência de acidentes caseiros, violência doméstica e outros tipos de eventos em que as armas de fogo acabam levando a catástrofes familiares. Por um outro lado, defende-se a idéia de que desarmando-se a população (sem no entanto desarmar os bandidos) estaria se aumentando ainda mais a violência já que os bandidos armados (e só eles) ficariam ainda mais à vontade para roubar o cidadão comum.

É claro que esses são apenas dois argumentos que representam o pico de um iceberg que tem ainda muito o que ser discutido e, realmente, me faz questionar a validade de um plebiscito em um país ainda com grande índice de analfabetismo funcional. Seja o que a natureza quiser! Essa mesma já anda dando mostras de seu poder, usando o pseudônimo de Katrina e Rita.

Outra coisa: esta edição é especialíssima pois apresenta, em suas páginas virtuais, as 9 redações selecionadas em primeiro, segundo e terceiro lugares nas escolas em que transcorreu o I Concurso Literário Multicard/Multiclínica – Simplicíssimo, do qual este site tem orgulho de ter participado como co-patrocinador. O tema do concurso era “Saúde: cuide bem da sua”. Não percam! VAle a pena ler as pérolas deixadas pela criançada e também pelos maiores.

À carga! Muita coisa boa pra ler nesta edição! Até quarta que vem!