Simplicíssimo

Solidão

Solidão
Minha companheira leal,
Está sempre ao meu lado
Vivi em uma constelação, e sempre na multidão.
Mas não conheço ninguém além da solidão.
Sempre fui só, pois penso sem dó.
Faço e não volto atrás, sou dura, sou impura.
Quero assim, pois mando apenas em mim.
Queres me encontrar?
Encontre antes a solidão, pois eu sou a escravidão.
Tu sabes o que faz, a solidão me acompanha, e se quiser que seja assim…
…Pois mando apenas em mim.


Débora de Azevedo, estudante de Odontologia e nas horas vagas tem como diversão seu trabalho em sua pequena produtora divulgando algumas bandas e levando-as para o interior do Estado (Vale dos Sinos e região serrana). Também divide seu tempo com trabalho voluntário onde ajuda crianças e idosos carentes levando amor, carinho, atenção e cultura. Estas poesias, se é que se pode chamá-las assim, estão guardadas há tempo. São de minha autoria e saem do “nada” vindas de um sentimento momentâneo. Elas fluem normalmente em noites de insônia e profunda rebeldia, onde expresso meu sentir. Nem sei se é tão poético, ou talvez harmonioso, não sigo regras gramaticais e nenhum estilo poético. Na verdade não as considero poesias e sim um explosivo desabafo. Estas foram dedilhadas em noites de profunda agonia… …As lágrimas corriam sobre o papel e iam formando letras, palavras, frases, bem isto aí…

Débora de Azevedo

Últimos posts

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular

Most discussed