Silêncio, por favor

Sem nenhuma preocupação em formas e modelos, escrevi esse pequeno poema numa tarde chuvosa de novembro… Silêncio para os que querem dormir
E para os que querem pensar
Pensar dormindo..dormir pensando

Silêncio para os que querem paz
E que não conseguem dormir
Pensando no fim do mundo

No meio do silêncio obscuro dos poetas
Eu grito pra quem quiser ouvir
Que o silêncio mórbido que te ajuda a pensar
Me enerva, e me faz vomitar

Que toda gritaria que o mundo possa fazer
Traz a paz que todos querem ter
E o silêncio dos inocentes
É o clamor dos inquisidores

Gritem e chorem nas fogueiras