Simplicíssimo

Duas Histórias de Amor

João amava José. José amava João. João tinha poucos amigos. José tinha muitos. João só tinha amigos que o aceitavam como ele era. Nenhum dos amigos de José desconfiava que ele tinha um "defeito". João era muito sincero. José só era sincero com João. José fingia. João vivia suas escolhas plenamente.

Acontece que um dia, José e João estavam passeando no parque de mãos dadas. José avistou uns amigos do trabalho, e largou a mão de João. Cumprimentou os amigos, e apresentou João como um "colega". João compreendeu a "vergonha" do amado, e interagiu com as conversas. Só se chateou quando José mexeu com uma garota volumosa de calças apertadas. Voltaram pra casa e não se falaram. No dia seguinte as roupas de José estavam arrumadas dentro da mala, na entrada da casa de João.

Ana amava Maria. Maria amava Ana. Ana tinha poucos amigos. Maria tinha muitos. Ana só tinha amigos que a aceitavam como ela era. Nenhum dos amigos de Maria desconfiava que ela tinha um "defeito". Ana era muito sincera. Maria só era sincera com Ana. Maria fingia. Ana vivia suas escolhas plenamente.

Acontece que um dia, Maria e Ana estavam passeando no shopping de mãos dadas. Maria avistou uns primos distantes, e largou a mão de Ana. Cumprimentou os primos, e apresentou Ana como uma "colega". Ana compreendeu a "vergonha" da amada, e interagiu com as conversas. Só se chateou quando Maria olhou para um garoto sarado de músculos volumosos. Voltaram pra casa e não se falaram. No dia seguinte as roupas de Maria estavam arrumadas dentro da mala, na entrada da casa de Ana.

Muito tempo se passou, e a vida encaminhou João à vida de Ana. Casaram-se e são muito felizes, cúmplices da necessidade de se completarem. Ana sabe que o grande amor da vida de João foi José, e João sabe que Maria foi o grande amor de Ana.

José encontrou Maria numa dessas fugas pelo bem da imagem que achava que a sociedade exigia. Fingiu gostar de Maria, e esta retribuiu o fingimento. Casaram-se na semana passada, mas parece que não estão muito bem não, só brigam, e saem de casa no meio da noite em busca de uma felicidade ilusória que só o sexo consegue passar…

Que no novo ano tenhamos aprendido um pouco mais sobre o sentido de felicidade.
Que o novo ano traga uma evolução moral nas pessoas, elimine conceitos e pré-conceitos antigos e sem sentido, que Joões, Josés, Anas e Marias sejam decentes e felizes.

Essa foi a única maneira que eu encontrei para te desejar um feliz ano novo!!!

Marcos Claudino

Últimos posts

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!