Simplicíssimo

Tentativas

 
 
Adolescente, não sabia quem eu era. Conhecia tão somente as dúvidas, os temores. As experiências eram intensas. Se ao menos pudesse sair fora de mim e me observar: como ando, falo, me ver pelas costas. Se ao menos pudesse ser tecida quadro a quadro como uma colcha de retalhos: juntar, juntar, o melhor do outro. Quem sabe seria a perfeição? Se ao menos pudesse penetrar nos olhos dos outros e ver como eles me veem? Ah! medos aterrorizantes que atordoam a alma como noites escuras de tempestades! Ah! temores horripilantes para uma menina assustada. Simples, como as quermesses do colégio das freiras em Soledade.
 
16.08.08

Terezinha Pasqualotto

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!