Simplicíssimo

Sem título(09)

Reescrever-me em corpo presente

Volátil corpo fugidio

Tecido de indesejadas e imprecisas ausências

Enganoso e fugaz nascimento

Realidade e ficção

Tumulto e revolução

Expor-me em manifesto grito livre

Seguir no vendaval em turbilhão

Ser híbrido

Ser mutação contínua

Com mortes choradas

Com despedidas pintadas

Coloridas em cor de vida.

Crer e não crer

Na crença do eterno devir

Fazer da luz

Cristal e sabedoria

Complementares visões da alma

Saber e ser de humanas diversidades

Ser busca encontro e claridade

Ser viajante em incessantes demandas.

Dionísio Dinis

Últimos posts

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular

Most discussed